Acenda.

images (2)

 

 

Vim te dar boa noite, amor. Não importa quantas palavras vou usar, que tipo de linha de raciocínio manterei. Eu só queria que você soubesse disso. Eu estou aqui, pensando nesse pôr-do-sol tão bonito que fez aqui no Rio de Janeiro hoje e ele me remeteu a você.  Um céu rosado, que brilhou na minha janela e eu corri para ver, largando a xícara de café em cima da prateleira de livros. Você reclamaria dessa minha falta de cuidado, ainda bem que esses livros não falam.

Boa noite, amor. De novo. E sempre. Não terá uma noite que passe despercebido esse meu desejo. Eu quero que você tenha uma noite tranquila, eu juro. Que Morfeu te pegue pelos braços e te leve para conhecer as estrelas de perto. Eu não tenho ciúmes, fique tranquila. Repouse, relaxe, conte carneirinhos. Sonhe comigo e se sentir saudades, pode me ligar às três da manhã, mesmo que não tenha assunto.

Amor, apague as luzes. Faça uma prece e agradeça o dia que teve. Viu como o céu ficou azulzinho hoje? Não é qualquer um que teve este presente. Aposto que em Santa Catarina o dia foi cinzento, mas eu também gosto de mansidão. Dias nublados me trazem uma calma inexplicável.

Vida, deixe Leminski acompanhar você por enquanto. Afofe o travesseiro, se ajeite e deixe que os olhos percorram as linhas poéticas. Mas não esqueça seu óculos! Isso, vire as páginas devagar para não cortar os dedos nas folhas. Você é mestre nisso. Sei bem a dorzinha chata que é. Depois me conta o que achou do poema trinta e cinco. É o meu preferido.

Meu bem, agora é sério: boa noite. Mentalize lindas vibrações para o dia seguinte e, se puder, acorde entoando Caetano. Dance, deixe sua mente de lado, movimente-se com seu coração. Ria de seu reflexo despenteado no espelho, queime a ponta da língua com o café fumegante. Xingue depois disso (eu sei que faz isso e fica mais linda ainda).  Ande de pijama pela casa e se jogue no sofá. Não será domingo, mas a preguiça é seu direito. Ande descalça, faça um coque, assista a um programa de culinária, brinque com seu cachorro no quintal enquanto aproveita os primeiros raios de sol.

Mas faça alguma coisa.

Qualquer coisa, amor…

… porque meu coração não aguenta mais ver você assim, tão triste.

 

Aryane Silva

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s