O que você faz quando as luzes se apagam?

light_up_your_inspirations_by_blackjack0919

Quando eu era pequena, ficava apavorada quando acabava a luz do bairro. Isso sempre acontecia em dias de muita chuva. Estávamos vendo televisão e, do nada, tudo ficava um breu. Eu corria para o quarto da minha avó. Ela, que vivia na escuridão total por ser deficiente visual, sabia tirar aqueles menos de letra (menos quando estava calor, é claro). Eu entrava esbaforida, praticamente arrancando a porta do quarto. Ela já sabia que era eu e dizia: “acabou a luz, né?”, deixando um espaço na cama para eu deitar, logo em seguida.

Antigamente, os serviços prestados pela fornecedora de energia não eram tão ágeis como agora. Chegávamos a ficar três dias sem luz. Quando isso acontecia, eu torcia para amanhecer logo e aproveitar a luz do sol, mesmo que não pudesse assistir minhas novelas preferidas.

Nesse tempo, improvisávamos. Escutávamos músicas em rádios de pilha (meu Deus, como estou velha!), eu saía para brincar no jardim ou deitava na cama para ler. Tentava aproveitar o máximo de horas durante o dia, porque passaria o resto da noite à luz de velas.

Quando a luz voltava, era uma alegria. Ouvia a rua inteira gritar “êêêêêêêêê” e já sabia que podíamos voltar com a rotina. Lembre-se: escrevo sobre uma época que não tinha internet, computador ou celular. Os dias rendiam mais por isso. Depois do grito, tudo voltava ao normal. A vida recomeçava.

Quando as luzes dos postes e lâmpadas se apagam só nos resta esperar.

E quando a nossa luz interior esmaece, o que fazemos?

O que você faz quando recebe uma notícia ruim, acorda mal por ter dormido mal, deixa a mágoa determinar seus dias? Quando o carro morre em plena chuva? Quando descobre que um amigo fiel te traiu? Quando não gosta de si mesmo? Eu poderia dizer o que deve ser feito, como sorrir mais, abraçar uma árvore, brincar com uma criança, comer um pedaço de torta de chocolate ou beber uma xícara de café, mas não posso. Cada um se conhece o suficiente para onde dói e como dói. Cada um sabe de amores que não vingaram, sonhos que não decolaram, planos interrompidos porque a realidade chamou primeiro. Então, se eu pudesse dizer algo que faça sentido, seria: continue caminhando. Por mais que pareça longe, mesmo se você estiver cansado, não pare. Coisas terminam para que novas nasçam. Alianças emocionais se partem para que sentimentos mais fortes venham fazer a diferença. Pode parecer que você já tentou de tudo e já usou todas as suas fichas, mas sempre temos a oportunidade de traçar novos caminhos.

Não desista. Se há muito chão, nós temos pés. Para muito céu, asas fortes. Muito mar, braços dispostos. É na hora da dificuldade que nos conhecemos melhor. É quando não podemos mais, que podemos tudo. E tudo que você precisa está dentro. Não está fora. Não está nos outros. Não se alimenta do que eles dizem, pensam ou falam. Tudo que você precisa está em você.

Olhe para dentro de si e ilumine-se!

Aryane Silva

IMAGEM: Black Jack 0919

Anúncios