Agora

Enquanto alguns já estão dormindo faz tempo, eu estou aqui, insistindo, persistindo, na esperança que você me leia, porque eu quero o teu sentir além do óbvio das palavras. Aliás, eu quero muitas coisas, que nunca foram ditas assim, tão abertamente. Saiba: eu detesto as entrelinhas e duplas interpretações.

Só te peço uma coisa, se me lê agora (ou se me ler amanhã, ou depois, ou depois…): pare o que estiver fazendo e me sinta. Lembre-se do perfume, do primeiro dia que você se deu conta que poderia dar certo. Eu não tenho as mãos frias e você sabe o que isso significa. Não leve em conta as circunstâncias, porque elas são mutáveis. E você sabe do meu signo e o quanto eu levo isso a sério.

Não quero ver o dia amanhecer porque eu faço isso, quase todo dia. Não é novidade. Não tem nada de bonito nisso. Mas eu queria te ver acordando. Desgrenhado, preguiçoso e sem defesas. Cru e amado. Experimentado por mim no corpo e na alma. Não sou o tipo de mulher que sonha até a última gota. Eu quero alguém que mate a minha sede de vida, de cama, de alegria. E eu sei de cor teus limites, os mais rígidos e os frágeis, impostos para que não sofra com um amor mal resolvido.

Estou indo dormir e te dando um abraço daqui, beijando seu pescoço para encontrar um pouco de paz, sentindo seu coração batendo de nervoso ao ler isso, apenas pensando no quanto seria bom acordar mais tarde e ver você ao meu lado.

Quem sabe. O mundo é gigante. E ele gira.

Aryane Silva

Anúncios