Prece

Pai,

O Senhor já me deu a força que eu pedi,

e eu não soube usar.

Estava distraída com alguma coisa sem importância.

Agora sinto o peso do tempo não aproveitado em cima de mim.

A falta de sono, de colo e de calor.

E o pior é que não posso reclamar, porque já vim pronta

para as angústias e alegrias.

Nesta vida,

a gente fica nu com muita facilidade.

Seja pro amor.

Seja pra dor.

E nada me veste agora.

Sinto um vento vindo,

anunciando alguma coisa que desconheço,

me permito esperar,

porque estou aqui para isso.

Pai, que eu não seja como essas pessoas

que abrem a boca para o mundo,

mas calam os sentimentos.

Que se eu tiver que odiar alguém,

que eu esqueça de fazê-lo,

como esqueço as chaves em cima da pia.

Que o passado não me embruteça,

a ponto de ignorar o céu bonito lá fora.

Ainda me falta muita coisa e eu tenho fome de mundo.

Mas entendo que tudo tem seu tempo.

E que todo o clichê de autoajuda me diz

que a vida conspira a favor.

Eu creio.

E, acima de tudo, eu acredito

que faço parte de um sistema

muito maior que eu.

Pai, me perdoa se muitas vezes sou birrenta e ingrata,

tardia e melodramática,

superficial e indiferente.

No fundo, bem lá no fundo,

eu sou mais normal do que pareço

e tenho os desejos mais prosaicos:

alguém que me dê a mão

e esteja comigo por amor.

Apenas isso.

O resto (se é que há resto quando somos divinos)

a vida ensina.

Aryane Silva

IMAGEM: Pinterest

Anúncios